30.jul.2017
Jolie faz comunicado e esclarece trecho controverso de entrevista

Neste sábado, dia 29 de Julho, o site The Huffington Post publicou um comunicado feito pela cineasta norte americana Angelina Jolie.

Na semana passada, uma nova entrevista concedida pela atriz foi publicada pelo site oficial da revista “Vanity Fair”. Nela, a colaboradora da revista, Evgenia Peretz, escreveu algumas curiosidades a respeito do novo filme dirigido por Jolie, “First They Killed My Father”. No entanto, um trecho da matéria causou certa revolta nas redes sociais por descrever um método controverso durante a seleção de atores mirins para o filme. Confira o trecho retirado da entrevista:

“Para selecionar as crianças que iriam participar do filme, Jolie visitou orfanatos, circos e escolas para escolher, especificamente, crianças que já tinham passado por dificuldades. A fim de encontrar a atriz que faria o papel principal da jovem Loung Ung, os diretores de elenco criaram um jogo um pouco perturbador de realidade: eles colocaram dinheiro em uma mesa e pediram para que as crianças pensassem em algo que precisavam comprar; em seguida, as crianças tinham que pegar o dinheiro. O diretor de elenco, então, que fingia não saber o que estava acontecendo e pegava a criança no flagra. “Srey Moch [a garota que, no final, foi selecionada para o papel] foi a única criança que ficou olhando para o dinheiro durante um longo tempo”, contou Jolie, “Quando ela foi forçada a devolver, ela ficou muito emocionada. Muitas emoções diferentes começaram a vir à tona,” contou Jolie com os olhos mareados. “Quando perguntaram a ela para que ela queria o dinheiro, ela disse que seu avô tinha morrido e que sua família não tinha dinheiro suficiente para um bom funeral”.

Fãs da atriz e demais pessoas ficaram chocadas pelo suposto método utilizado, descrevendo como algo cruel diante da situação precária em que as crianças viviam. Diante da revolta, Jolie enviou um comunicado dizendo que o método em questão havia sido retirado do contexto. Segundo ela, durante as audições, pais, responsáveis, ONGs e médicos estiveram presentes e ao lado das crianças. Ela ainda enfatizou que nenhuma criança sofreu quando participava do processo de seleção. Leia o comunicado abaixo:

Todas as medidas foram tomadas para garantir a segurança, o conforto e o bem estar das crianças, começando pelas audições, posteriormente, pela produção até o momento atual. Pais, responsáveis, organizações não governamentais parceiras – cujo trabalho era cuidar das crianças – e médicos estavam, todos os dias, à disposição para garantir que todos recebessem qualquer coisa que estivessem precisando e para que, acima de tudo, ninguém sofresse de forma alguma, durante as atividades de recreação de um filme que conta uma parte tão dolorosa da história de um país. Fiquei chateada com o fato de que um exercício de improvisação – de uma cena que realmente acontece no filme – tenha sido escrito de uma forma que parecesse um cenário real. A sugestão de que uma quantia em dinheiro tenha sido tirada das mãos de uma criança durante a audição de um filme é falsa e perturbadora. Eu ficaria indignada se isso realmente tivesse acontecido. O objetivo deste filme é chamar atenção para os horrores que algumas crianças enfrentam durante a guerra e também protegê-las.

O produtor cambojano Rithy Panh também fez um comunicado esclarecendo ainda mais a situação dizendo:

Eu gostaria de falar a respeito do que foi recentemente reportado com relação ao processo de seleção de elenco do filme “First They Killed My Father”, dirigido por Angelina Jolie. O processo de como os atores mirins foram selecionados foi grosseiramente descrito e eu gostaria de esclarecer os mal entendidos. Como havia muitas crianças envolvidas na produção do longa, Angelina e eu tomamos o maior cuidado para garantir que o bem estar delas fosse protegido. Nosso objetivo era respeitar as realidades da guerra, enquanto ajudávamos todos aqueles que nos auxiliaram a recriar as cenas no filme. O elenco foi selecionado da maneira mais sensível possível. As crianças eram de diferentes origens. Algumas eram desfavorecidas, outras não. Algumas eram órfãs. Todas as crianças eram assistidas, em todos os momentos, pelos pais ou cuidadores das ONGs que eram responsáveis por elas. A equipe de produção seguiu as exigências das famílias e as diretrizes das ONGs. Algumas audições, inclusive, aconteceram nas instalações das ONGs. Antes do teste em questão, a equipe de seleção mostrou às crianças, as câmeras e os materiais de gravação. Explicou que elas seriam convidadas a representar uma cena: elas iriam fazer de conta que estavam roubando dinheiro ou um pedaço de comida deixados sem vigilância e que, posteriormente, seriam pegas no ato. Esta cena relaciona-se a um episódio da vida real de Loung Ung, uma cena do filme, quando ela e seus irmãos foram pegos pelo Khmer Vermelho e foram acusados de roubo. O objetivo da audição era improvisar com as crianças e explorar como elas se sentiam quando eram pegas fazendo algo que não deveriam fazer. Nós queríamos ver como elas iriam improvisar a cena de quando seu personagem é flagrado “roubando” e como elas justificariam suas atitudes. As crianças não foram enganadas ou “sabotadas” como algumas pessoas sugeriram. Elas entenderam muito bem que elas tinham que atuar e fazer acreditar. O que fez Srey Moch ser escolhida para o papel principal de Loung Ung foi o fato de que ela não queria usar o dinheiro para comprar algo para si mesma, mas porque ela se importava com seu avô. Muito cuidado foi tomado com as crianças, não só durante as audições, mas também durante toda a produção do filme. Elas estavam acompanhadas de seus pais, de outros parentes ou de seus tutores. Nós ainda fazíamos intervalos para que elas estudassem e brincassem. A preocupação com o bem estar das crianças continua até o momento, porque as lembranças do genocídio ainda estão cruas e muitos cambojanos tem dificuldades para falar sobre suas experiências. Uma equipe de médicos e de terapeutas trabalhou conosco nos sets e esteve presente todos os dias no caso de alguém do elenco ou da equipe precisar conversar. As crianças deram de tudo durante seus desempenhos e deixaram todos da produção do filme e, acredito eu, também do Camboja, muito orgulhosos.

Desta forma, depois dos esclarecimentos prestados tanto por Jolie, como pelo produtor, Panh, fica claro que o trecho da entrevista foi escrito de fora do contexto, pois os atores mirins sabiam que estavam interpretando uma cena do filme e que teriam que improvisar algo que havia sido explicado anteriormente: eles teriam que pegar escondido uma pequena quantia em dinheiro, ou uma porção de comida, e ao serem flagrados no ato, teriam que improvisar uma desculpa. Nada de cruel, apenas uma cena do filme que retrata parte da história de vida da ativista e escritora, Loung Ung. Talvez, a vida de Ung é que foi muito difícil e cruel, e não as cenas do filme, não é verdade?

Fonte: The Huffington Post

Aproveite para ler também:
Espere! Não se vá antes de deixar o seu comentário sobre o post




O Angelina Jolie Brasil é um site feito de fãs para fãs e tem como objetivo principal compartilhar as notícias mais recentes sobre a cineasta norte americana, Angelina Jolie. Nós não temos qualquer contato com a atriz, seus familiares e agentes. Qualquer artigo, vídeo ou imagem postado nesse site possui os direitos autorais dos seus respectivos proprietários originais, assim como todos os nossos conteúdos produzidos, editados, traduzidos e legendados devem ser creditados sempre que reproduzidos em outro site. É proibida a cópia total ou parcial deste site assim como deste layout. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade clicando aqui.