FRASES

A responsabilidade de todos nós é fazer o máximo com o que nós temos.

Nós planejamos continuar tudo o que estamos fazendo e fazer mais ainda e crescer em todas as direções. Está tudo ficando cada vez mais louco. Nós temos viajado tanto, nossas crianças estão crescendo e nós queremos ter mais crianças. Conseguimos sobreviver a esse ultimo ano e agora queremos ver o que mais podemos fazer.

Meias com cinta-liga tradicionais dos anos 40 são muito sexy. Eu as adoro.

Eu uso Blistex, porque meus lábios são naturalmente vermelhos, então eu suavizo a cor com um batom cor da pele. Eu sei que outras mulheres matariam para ter lábios como os meus, mas eu sinto que eles tomam conta de todo meu rosto.

Cenas de sexo não são fáceis para ninguém, não importa o quão confortável você esteja com a pessoa. Mas eu devo dizer, deitar na cama nua da cintura pra cima não é sexo.

Não é verdade que eu fiz um seguro de um milhão de dólares para os meus lábios. Mas de todos os rumores que existem sobre mim, eu acho que esse é o mais engraçado.

Quando eu estava crescendo, eu nunca cuidei de crianças. Eu era considerada muito ‘punk rock’ para ser responsável por crianças.

Nunca mais terei o nome de um homem tatuado em meu corpo.

Quando você está removendo uma tatuagem, a pior parte é o cheiro.

Eu nunca havia segurado um bebê. Então quando ele (Maddox) sorriu não foi porque ele gostou de mim, mas porque ele se sentiu bem comigo.

”Eu preciso aprender a cozinhar para o meu filho, sentar em casa e ficar quieta. Quando eu chegar a esse ponto, eu terei me envolvido devidamente.”

Sobre as fotos de modelo quando jovem:

Aí estou eu, jovem e procurando por coisas que eu achei agora. Eu só vejo tristeza e vulnerabilidade nessas fotos. Não vejo nenhuma das qualidades de Lolita que os outros vêem.

Toda vez que eu vejo uma foto minha com Maddox eu não acredito o quão afortunada minha vida tem sido. É uma imagem que eu pensei que nunca veria: eu com uma criança.

Na Premiere do filme “O Espanta Tubarões”:

Eu disse que eu nunca subiria naquele tubarão inflável. Eu disse que era uma das coisas mais estúpidas que eu já tinha escutado. Então Will e Jack montaram e eu pensei, vamos ter que subir no maldito peixe. Não é como se eu nunca tivesse montado em coisas mais estranhas.

Sobre seu figurino no filme “Uma Vida em Sete Dias”:

Aquilo era um disfarce. Eu fiquei loira para o papel porque não conseguia me imaginar fazendo um papel de ‘mim mesma’.

Eu Ainda não superei o fato de eles terem apagado meus mamilos no pôster do filme “Lara Croft: Tomb Raider”. Sem mamilos. Eu acho que isso é certamente estranho e bizarro. Mamilos são adoráveis.

Sobre a Premiere de “Lara Croft: Tomb Raider” em Los Angeles:

No caminho para lá, eu tive que deitar no chão do carro para por aquelas calças. Estou sempre atrasada para essas coisas.

Sobre sua personagem no filme “Garota, Interrompida”:

Eu fui buscá-la num lado bastante obscuro com o qual eu sou familiar – embora menos hoje em dia. O papel foi fácil de alcançar. Eu sempre achei os papéis pesados fáceis para mim, talvez por isso eu tenha tentado muitos outros mais simples. Eu entro nos mais pesados mais facilmente. Humor é difícil.

Eu não invejo alguém que tenta experimentar vários caminhos. Eu fico feliz por eles. Apenas nunca tatue o nome de uma pessoa em você.

Sobre o vestido usado no Tribeca Festival de 2003:

Ele era da minha mãe; ela o usou quando tinha mais ou menos a minha idade.

Sobre o terno usado na Premiere do filme “Shrek 2”:

Maddox tinha um terno igual aquele. Corri para casa depois da Premiere, vesti Mad com o terno e saímos pra jantar juntos.

Durante as filmagens de “Pecado Original”:

Nesse momento, eu estou em uma fase de transição na qual, eu acho, eu estive questionando – apesar desse meu lado, você sabe, minhas tatuagens, meu lado selvagem, meu lado sombrio – se essa mesma pessoa também poderia se tornar, um dia, uma esposa, uma mãe, uma boa amiga, inocente e doce e engraçada…

Eu não guardo meus prêmios. Meu irmão tem meus Globos de Ouro e minha mãe tem o Oscar. Acho que não é bom ter-los por perto pra ficar olhando toda hora.

Eu pratiquei por uma eternidade naquele jet ski para Tomb Raider. E eu não gosto muito de água. E eu também não gosto de biquínis. Então um jet-ski e um biquíni: isso chega bem perto do meu pesadelo.

Eu fiquei maravilhada com Colin [Farrel]. Eu acho que ele é um incrível ator.

Sobre o vestido usado na Premiere do filme “Roubando Vidas”:

Eu levei um bom tempo para me convencer a usar aquele vestido. Não me sinto confortável com saias curtas.

Eu só tenho lembranças doces, felizes de Johnny [Lee Miller]. Nós ainda somos ótimos amigos.

Sobre o Oscar de 2000:

Estou satisfeita por continuar experimentando. Eu lembro que tive muita desaprovação com aquela roupa, e, ainda assim, fazer coisas corajosas é o que faz a vida divertida. Eu não me arrependo.

Sobre o Oscar de 1986:

Aquilo foi quando eu fui forçada a ir ao Oscar, com uma aparência muito infeliz.

Eu estava trabalhando em filmes e fazendo coisas para a minha própria carreira, para minha própria vida. E então certamente havia um vazio em mim.

Eu acho que todos precisam de um senso de propósito, um senso de ser útil.

Parei de usar LSD depois que fui à Disneylândia, drogada, e achei que o Mickey era um senhor baixinho que odiava a vida.

Falando sobre a peixinha Lola, a quem empresta a voz no filme animado “O Espanta Tubarões”:

Ela tem a minha bocona.

Sobre a pressão que recebe de seus filhos e sobre se casar com Brad Pitt:

Eles assistem filmes e começam a fazer perguntas como: Por que o Shrek e a Fiona se casam e vocês não?

Eu fui irresponsável, mas eu não sou uma rebelde sem causa.

Quando eu era mais nova, eu era dark, e a razão pela qual muitas pessoas são darks, é porque você não sabe aonde você se encaixa na vida. Não quer dizer que o mundo delas não é suficiente. É apenas porque elas não conseguem encontrar as respostas para as perguntas e para os sentimentos que têm.

As pessoas sempre vão dizer todo tipo de coisa. Deixa-as falar. Eu estou vivendo minha vida.

As pessoas dizem que você está indo no caminho errado, quando você apenas está seguindo seu próprio caminho.

Não importa quem você foi na sua juventude, o que importa é quem você escolheu para ser em sua vida. Você pode definir seu próprio destino. Você pode ser mais forte do que um passado muito difícil e superá-lo.

A família é o que sustenta você.

Isso soa muito clichê, mas nós realmente temos que olhar para o próximo. A vida é muito curta.

Todas as mulheres têm um senso diferente de sexualidade, ou um senso diferente de diversão, do que é gostar, do que é ser sexy, do que é legal ou do que é difícil.

No programa do Anderson Cooper em 2011: Como você vai responder, quando seus filhos ficarem adolescentes e você estiver tentando discipliná-los… e eles replicando… ‘Uh… mãe, você usava um pingente de sangue pendurado no pescoço!?

Sim, eu usava.

Sobre a Premiere de seu filme “Na Terra de Amor e Ódio” em Nova York:

Eu já passei por muitas Premieres. Mas estar com meu elenco significou muito mais para mim. Quando eu caminhei pelo tapete vermelho e vi todos enfileirados, eu quase cai. Foi muito gratificante.

A verdade é que eu amo estar viva e eu amo me sentir livre. Então, se eu não posso ter essas coisas eu me sinto como um animal enjaulado e preferia estar morta. É realmente simples e eu não acho isso tão incomum.

Sobre ela e Brad Pitt:

Nós dois gostamos de andar de moto, nós dois gostamos de voar em aviões, este é o nosso lado espirituoso. Já o nosso outro lado é muito focado em coisas bobas de mamãe e papai. Então eu acho que são extremos, mas eu apenas vejo isso como um equilíbrio.

Sobre os refugiados:

Eu honestamente quero ajudar. Eu não acredito que sou diferente das outras pessoas. Eu acho que todos nós queremos justiça e igualdade. Todos nós queremos a chance de ter uma vida que faça sentido. Todos nós gostaríamos de acreditar que se estivéssemos em uma situação ruim, alguém iria nos ajudar.

Só porque eu pareço uma bad girl, as pessoas automaticamente acham que eu sou uma bad girl. Ou acham que eu carrego um segredo sombrio comigo ou acham que eu sou obcecada pela morte. A verdade é que eu, provavelmente, sou a pessoa menos mórbida que se pode encontrar. Se eu penso mais sobre a morte do que as outras pessoas, é porque, provavelmente, eu amo a vida mais do que elas

Existe algo sobre a morte que é reconfortante.O pensamento de que você pode morrer amanhã libera você a apreciar sua vida agora.

Enquanto outras menininhas queriam ser dançarinas de balé, eu meio que queria ser uma vampira.

Eu percebi que ser feliz é uma escolha. Você nunca escolhe ser um mau exemplo ou não ser engraçada, mas você tem que ser feliz. Quando sou racional e não confio em meus instintos – este é o momento em que eu entro em apuros.

Terapia? Eu não preciso disso. Os papéis que eu escolho são minha terapia.

Basicamente, toda personagem que eu já interpretei é eu. Existem cerca de 40 pessoas dentro de mim, e eu apenas escondo 39 delas para interpretar um determinado papel.

Eu não acredito em culpa, eu acredito que devemos viver impulsivamente, desde que você nunca machuque alguém de forma intencional, e não julgue as pessoas em sua vida. Eu acho que devemos viver completamente livres.

Quando você é jovem, está bêbada, está deitada e você tem facas, merdas acontecem.

Eu gosto de pessoas que são um pouco loucas mas que vem de um lugar bom. Eu acho cicatrizes sexys porque isto significa que você cometeu um erro que gerou muitos problemas.

Eu tenho tatuagens e eu uso couro, mas existem outros lados de mim que meus filmes mostram.

Eu abaixei minhas calças em um estúdio de tatuagem em Amsterdã. E acordei em cima de um colchão de água, com um dragão de língua azul tatuado em minha cintura. Eu percebi que tinha cometido um erro e, por isso, alguns meses depois, tatuei uma cruz para cobri-lo. Quando minhas calças são mais baixas, parece que eu estou carregando uma adaga!

Eu preciso de mais sexo, ok? Antes de eu morrer, eu quero testar todas as pessoas do mundo

Eles tem razão em pensar isso sobre mim porque eu sou a pessoa mais propensa a dormir com minhas fãs mulheres, eu genuinamente amo as mulheres. E eu acho que eles sabem disso.

Eu não me acho bonita porque eu vejo muitos defeitos. As pessoas tem opiniões estranhas. Elas me dizem que sou magra como se isso me deixasse feliz.

Ter intimidade com um homem casado, quando no passado meu próprio pai traiu minha mãe, é algo que eu não conseguiria perdoar. Eu não iria conseguir me olhar de manhã se eu tivesse feito isso. Eu não me sentiria atraída por um homem que trairia sua esposa.

Eu nunca gostei de ser abraçada. As pessoas costumavam dizer que eu prendia minha respiração quando estava sendo abraçada. Eu ainda faço isso.

Eu gostaria de acreditar que as pessoas que me apoiam em meu trabalho, que se identificam comigo em meus filmes, ou que sentem que me conhecem, não têm ideias erradas – elas me entendem. Eu acredito nisso.

Eu gostaria de ser mais aberta com as pessoas. Eu gostaria de não ter segredos ou de não ter de tomar cuidado quando eu falo.Eu não quero ter de planejar as coisas… Eu quero ser franca. Eu quero dizer minhas opiniões e eu espero que as pessoas entendam da maneira correta. Eu não quero deixar de ser livre. E eu não vou.

Sou extremamente honesta e eu me orgulho disso. Eu não tento ser chocante. Eu sou brincalhona e sei que as vezes falo coisas chocantes, mas é apenas a verdade, eu nunca quis ser assustadora para as pessoas ou ser perturbadora para as pessoas. Eu simplesmente quero viver do jeito que eu preciso para viver.

Eu me senti bonita quando estava no Camboja [participando das filmagens de “Lara Croft: Tomb Raider”]. Eu estava suada, meu cabelo estava bagunçando e enroscando em todos os lugares. Eu estava feliz, com calor, muito realizada, correndo… eu podia sentir meu coração batendo e eu me senti bonita

E ainda descalça, logo pela manhã, eu me sinto bonita. Porque eu sinto eu mesma. Nem sempre me senti assim, mas eu me sinto assim agora. Quando alguém ama você, quando você faz alguém feliz, quando sua presença parece fazer as outras pessoas felizes, você, de repente, se sente a pessoa mais bonita do mundo.

Às vezes eu acho [que meu marido é] tão incrível que eu não sei por que ele está comigo. Eu não sei se sou boa o suficiente. Mas se eu o faço feliz, então eu sou tudo o que quero ser.

O que me nutri me destrói.

Eu gosto de tudo. Meninas masculinizadas e meninos afeminados, o gordo e o magro. O que é um problema quando estou andando pelas ruas.

Se eu me apaixonar por uma mulher amanhã, irei sentir que não há nada errado em querer beijá-la e tocá-la? Se eu estiver apaixonada por ela? Absolutamente sim!

Se eu estou fazendo papel de tonta, quem se importa? Eu não tenho medo do que as pessoas acham de mim.

Se ser sensato é pensar que há algo errado em ser diferente… Então eu prefiro ser completamente uma retardada mental.

Eu sempre interpreto mulheres com quem eu sairia.

Em meu coração eu continuo a ser apenas uma garota punk com tatuagens.

Às vezes, os erros que eu cometi e o modo pelo qual eu me recuperei deles, pode significar alguma coisa para alguém.

É uma coisa libertadora colocar esses grandes desafios para você mesma. Viajar, aprender mais sobre o mundo, sair, ficar louca, livre e forte.

Ame uma pessoa, cuide dela até você morrer. Crie filhos. Tenha uma vida boa. Seja um bom amigo. Tente ser completamente quem você é. Descubra o que você pessoalmente ama. E corra atrás disso com tudo o que você tem, não importa o quanto isso custe.

Fazer escolhas ousadas e cometer erros. São essas coisas que fazem você se tornar a pessoa que você é.

Brad expandiu a minha vida de um modo que eu nunca imaginei. Nós construímos uma família. Ele não é apenas o amor da minha vida, ele é minha família. Eu dou muito valor a isso. Acho que o que aprendi com ele é que sou capaz de ter o tipo de família, cujo bem estar e felicidade vem antes de tudo.

Quando eu me sinto perdida, eu pego um mapa e fico olhando. Eu fico olhando até eu me lembrar de que a vida é uma grande aventura, com muitas coisas para fazer e muitas coisas para ver.

Voltar